Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Pobreza e Leis

 

Ouvi, anteontem, o anúncio de uma proposta legislativa a fazer pelo Bloco de Esquerda (BE) ao Parlamento. Talvez a ideia possa parecer demagógica ou populista, mas, não tenho dúvidas, é, por aquilo que se propõe, que se deve começar a luta contra a pobreza.

 

Disse Catarina Martins que iam recomendar que todas as Leis, antes de serem aprovadas, devam indicar o impacto que terão sobre a pobreza em Portugal.

Esta é uma medida que eu esperaria viesse do lado do PP/CDS, na medida em que se diz identificado com a democracia-cristã! Mas não! Veio, para consolo de uma certa esquerda, do lado do Bloco.

 

Especular-se-á que, as leis em geral, não têm impacto sobre a pobreza. Nada de mais errado! Todas as leis, ainda as que parecem tratar de assuntos distantes dos económicos, acabam com reflexos na vida financeira de toda a gente. Esta preocupação pode ser até conveniente para perceber outros impactos esquecidos de quem legisla. Passa a ser uma questão de metodologia obrigar a esta análise. Permite uma aproximação à tomada de consciência dos efeitos.

 

Esta pluralidade de esquerda, que nos governa, apresenta extraordinárias vantagens para o país, com alguns inconvenientes, em especial ao nível das reivindicações salariais e grevistas, porque, por aí, parece haver uma descolagem entre a realidade possível e a realidade desejada, contudo, inviável. É neste campo que começam a esboçar-se as lutas para o posicionamento na “grelha” de partida da campanha eleitoral. Julgo, o maior erro cometido pelo eleitorado será o de dar a maioria ao Partido Socialista (PS); a melhor solução parece ser a de manter a “geringonça” dentro de um equilíbrio semelhante ao presente. Será possível? A abstenção é um dos elemento mais importantes a tomar em consideração.

 

A próxima legislatura poderá ser determinante para o aparecimento desse fenómeno, que assalta o mundo e está a colocar em causa os valores da democracia, chamado populismo. Valham-nos todos os anjos, santos e arcanjos se entrarmos por esse trilho apertado e perigoso.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D