Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

30.12.18

O ambientalismo e a hipocrisia


Luís Alves de Fraga

 

Estou farto de hipocrisias e tanto mais quanto elas são comuns e aceites pacificamente por toda a gente. A luta pela melhoria ambiental é aquela que mais me incomoda, porque se “brinca” com os sentimentos dos jovens, levando-os a acreditar num determinado tipo de disputa, que, afinal, é só uma parte de um todo que se esconde.

 

A grande preocupação com o aquecimento global leva toda a gente a centrar a atenção nas fontes energéticas poluentes e, à frente de todas, lá vêm os veículos automóveis, depois as fábricas produtoras de CO2. Pois é! E quando é que se fala na poluição feita pelas aeronaves que cruzam a todo o tempo o espaço e cujo número aumenta desproporcionalmente? Será que os aviões não poluem?

 

Luta-se contra os sacos e garrafas de plástico, mas esquecem-se todos os materiais compósitos que nos rodeiam e fazem parte do nosso dia-a-dia, como, por exemplo, este computador em que escrevo.

 

Condena-se, e bem, a destruição da Amazónia, porque se está a acabar com o pulmão da humanidade; mas, cada vez mais, se usa a pasta de papel para fazer embrulhos, guardanapos, lenços, fraldas descartáveis e mais um inúmero conjunto de artigos que já não dispensamos.

 

Reprova-se com veemência, e bem, a poluição dos mares com a sobrecarga de lixo não degradável, mas quem é que condena a poluição das camadas mais altas da atmosfera onde vagueiam restos infindáveis de satélites, de foguetões, de tudo e mais alguma coisa que o Homem se encarregou de, nos últimos cinquenta anos colocar a girar à volta da Terra, porque já não passa sem telemóvel, sem GPS, sem informação meteorológica, sem observação para fins militares a partir do espaço?

 

E tudo isto não é uma hipocrisia? Não sabemos todos nós que se deitarmos menos plásticos nos oceanos há quem se encarregue de encher o espaço sideral de porcarias?

 

O pior mal do capitalismo é ser hipócrita, pois esconde-se atrás de uma moral irrepreensível e faz as maiores sujeiras de sempre.

Ser ambientalista não é ser parvo nem “bonzinho”; é, acima de tudo, estar atento e condenar tudo o que ataca a Natureza e o planeta num horizonte de 360 graus.

Vamos abrir os olhos e ver como deve de ser?