Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

13.10.18

Ministro e armas de Tancos


Luís Alves de Fraga

 

Demitiu-se o ministro da Defesa Nacional e a pergunta pode fazer-se:

- Porquê?

A explicação dada pelo detentor da pasta ministerial não chega para satisfazer a Nação ou, pelo menos, para me satisfazer. Basta pensar sobre todas as contradições deste processo. Será que o Ministério Público não terá de ouvir o ex-ministro?

 

Depois, acima de tudo, há que perceber se a "protecção" dada a um dos presumíveis autores do roubo não foi um método para "matar dois coelhos com uma só cajadada", ou seja, conhecer o "peixe miúdo" e agarrar o "peixe graúdo". É que negócio de armas roubadas e clandestinas não é para um (UM) ex-fuzileiro! É coisa para alguém com muito mais gabarito...

 

Depois, há que perceber se existe alguém, no "mercado" de armamento roubado, interessado em armas obsoletas...

 

Depois, há que compreender a oportunidade política da data do "roubo" e das consequências do mesmo...

 

Bom, meus caros leitores, a pergunta chave está por fazer:

- A quem interessava o roubo e quem dele beneficiava?

 

Tudo o que está à vista do vulgar cidadão só nos leva até uma conclusão: LUTA DE UMA POLÍCIA para se sobrepor a outra.

E se a minha hipótese de conclusão tiver algum fundamento, há ainda uma pergunta que resta sem resposta:

- Quem está, e porquê, por detrás de todas estas manobras?

 

Assim, coloca-se, ainda, outra questão:

Qual a razão determinante da demissão do ministro?