Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

28.05.18

Dados pessoais


Luís Alves de Fraga

 

Esta nova legislação europeia sobre a reserva de dados pessoais faz-me rir até às lágrimas!

Então querem enganar-nos como?

Vão reservar os dados, não os fornecendo a terceiros!

 

Mas será preciso fornecer a terceiros os nossos dados para que esses tais terceiros saibam tudo acerca de nós?

Neste mundo de informação e de cruzamento de dados quem quer sabe tudo de toda a gente. O telemóvel vai deixando o nosso rasto desde que nos levantamos até que nos deitamos, onde vamos e com quem falamos; o nosso cartão bancário deixa rasto por onde levantamos dinheiro e onde pagamos despesas; o nosso computador deixa rasto sobre o que lemos, a correspondência electrónica que recebemos e enviamos, com quem falamos no Skype, no Facebook e em tudo o resto. Nunca, como agora, ao longo da História, nós “demos” tanta informação sobre nós mesmos! Os arquivos de qualquer polícia política do passado são uma brincadeira de crianças ao pé do que podem ser os arquivos de qualquer centro de investigação da actualidade!

 

É uma fantasia o que se faz agora, na União Europeia! É, como diz o povo, atirar-nos areia para os olhos!

Mas a União Europeia é pródiga nestes jogos de sombras, onde surge o que parece, e não o que é, na realidade.

 

Podem-se arranjar mil e uma justificações para esta legislação, mas a verdade é que os nossos dados estão por aí. Até os nossos trabalhos que “guardamos” na “nuvem” – repare-se neste truque de lhe chamar nuvem – estão bem guardados num grande computador, com capacidade quase infinita e que coloca ao dispor de quem dominar o sistema toda a nossa informação INDIVIDUAL, naquilo que é mais íntimo de cada um.

 

Não brinquem comigo! Não brinquem connosco! Não nos infantilizem! Eu, pelo menos, já sou um homenzinho! Sei e assumo que a minha vida está devassada em qualquer momento, que um qualquer Alguém, a quiser devassar.