Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

18.04.20

Chamam-lhe guerra?


Luís Alves de Fraga

 

Então comportem-se como se fosse uma guerra!

 

Se fosse um conflito bélico, a dívida iria subir sem parar e sem olhar a impostos futuros e, de certeza, nem seria com impostos que se resolveria a dívida contraída!

 

Eis a razão para a minha discordância das afirmações feitas por António Costa e que transcrevo do Público:

 

«Ainda na entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro António Costa afirma que só haverá um Orçamento do Estado suplementar quando houver uma visão sólida das necessidades financeiras do país. E alerta, face aos inúmeros apelos para ajudar famílias e empresas: "Não podemos apoiar ilimitadamente porque é preciso ter consciência de que a despesa de hoje é o imposto de amanhã. É preciso perceber que não é altura de contar tostões para acudir às necessidades da saúde pública, mas obviamente temos de ter em conta que há amanhã."»

 

Temos de ter em conta, isso sim, que necessitamos de uma população a salvo de um perigo invisível e capaz manter poder de comprar para viver.

Ai, Dr. António Costa, cuidado com o que diz!