Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

04.12.18

Andaluzia


Luís Alves de Fraga

 

Sempre que vou visitar a Andaluzia sinto-me em casa. Não me perguntem a razão, mas, a verdade é que sinto.

Contudo, a Andaluzia, para mim, é a dos pueblos típicos e a das gentes simples e alegres que vão tapear ao fim do dia e gostam de falar alto e gesticular. Não tenho nada a ver com a Andaluzia dos grandes proprietários agrícolas.

 

Por isso, fiquei espantado com a viragem na votação regional da Andaluzia. Espanto que se vai racionalizando minuto a minuto: a classe média, um pouco por toda a Europa, começa a estar cansada de uma democracia que só usa palavras e deixa que as grandes negociatas financeiras encham os bolsos de quem não precisa de mais dinheiro.

 

O que está a acontecer na Europa, nos EUA, no Brasil, e mais um pouco por todo o lado, é o resultado da globalização.

Mas é que nem tenham dúvidas!

 

A globalização permitiu os paraísos fiscais e as facilidades de deles usufruir quem; permitiu a burla e corrupção de todos os políticos, que já nem têm a clara noção do que é crime e não é. Por isso, atrás de uma qualquer cantata, segue o povo na esperança de que alguém consiga reverter a vida para os supostos valores defendidos pela direita, pela extrema-direita.

 

Não sei se me vou sentir em casa, quando voltar à Andaluzia...