Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

A juíza e a Bárbara

 

Pelos vistos causou celeuma a minha postagem de ontem! Ainda bem!

 

Aqui vai a resposta colectiva aos comentários feitos.

 

1. O juiz julga factos provados. Pode, no seu tribunal, emitir as opiniões que entender, porque, como juiz, é um dos elementos que integra a soberania nacional e mal irá esta quando aqueles que lhe dão corpo não puderem fazer os comentários que a consciência lhes ditar. Talvez não devesse comentar, mas pode comentar, e se o fez não pode nem deve ser recriminado por isso. Não é isso que lhe invalida a isenção no julgamento, pois só a prova dos factos, isto é, a objectividade do que aconteceu determina a sentença.

 

2. O facto de a juíza tecer comentários sobre o comportamento da Bárbara Guimarães até devia ser louvável e louvado pelas associações que tão pressurosamente vieram reclamar, porque é de alguém com visibilidade pública que, espera-se, deva vir o exemplo a ser seguido por todas as outras mulheres vítimas de agressão doméstica! O argumento da Bárbara é "fraquinho", porque não é expectável numa apresentadora de televisão cujos padrões de "vergonha" são, naturalmente, diferentes dos do comum das mulheres e, até, dos homens vulgares.

 

3. O tratamento diferenciado entre os dois - o Manuel Maria Carrilho e a Bárbara Guimarães - deriva exactamente do tipo de visibilidade pública de ambos: ele é o professor, ela é a apresentadora Bárbara! Ele é conhecido em todo o lado por aquilo que faz e ela também! Nem ela é, para cada um de nós, a Senhora Dona Apresentadora, nem ele é o Manuel Maria Carrilho! A juíza usou da maneira normal de tratamento pelo qual cada um deles é reconhecido comummente.

 

4. Quanto aos pasquins, há-os escritos em excelente uso da língua nacional e há-os escritos em linguagem ilegível. Não é a forma como são redigidos que lhes dá o atributo de pasquins. Se se derem ao trabalho de consultar no seguinte endereço o significado - pasquim in Dicionário da Língua Portuguesa sem Acordo Ortográfico [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2016. [consult. 2016-02-17 12:31:55]. Disponível na Internet:

 

E pronto, estão dadas as respostas aos comentários negativos que foram feitos à postagem anterior e respeitante à Bárbara Guimarães!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D