Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

25.09.10

Saúde Militar


Luís Alves de Fraga

 

Debateu-se a questão da Saúde Militar e da proposta de reforma hospitalar apresentada pelo Ministério da Defesa Nacional, num dos salões do Hotel Mundial, no serão do dia 21 de Setembro.

Darei publicidade à minha intervenção mais tarde. Agora, acho que é importante referir que, afinal, todos os presentes concluíram que nem a proposta do ministério apresenta fundamentação válida, nem justificação aceitável. Acima de tudo, concluíram que a reforma representa um recuo nos direitos dos militares e, garantidamente, o desmantelamento de serviços que, para além de serem úteis tal como estão, representam um apoio às famílias dos militares e a todos quantos servem ou serviram nos quadros permanentes das Forças Armadas.

A efectuar-se, trata-se de uma reforma mais dispendiosa do que a manutenção do actual quadro hospitalar.

A reforma, seguindo a vontade do ministro, vai fazer recuar o serviço hospitalar militar para estádios semelhantes aos dos anos 30 ou 40 do século XX, quando entre nós imperava a ditadura do Estado Novo.

Pessoalmente, acho uma vergonha a implementação de uma reforma que vai desestruturar os Serviços de Saúde Militar das Forças Armadas. A qualquer título, é inaceitável.

5 comentários

Comentar post