Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

A desistência de Manuel Alegre

Mário Soares candidata-se à Presidência da República e Manuel Alegra desiste «para não dividir a esquerda». Esta última atitude é significativamente louvável, embora não seja condenável a de Mário Soares; a idade já avançada nunca foi problema para quem goza de boa saúde poder continuar a trabalhar. O problema não está aí. Onde ele reside, na minha opinião, é no risco político que Soares corre.
Repare-se que, até pouco antes de anunciar a sua candidatura, o antigo Presidente era tido como uma referência política para muitos Portugueses concordantes ou discordantes das suas análises, mas era uma referência. No presente momento, começou já a desgastar essa imagem e se, concorrendo, não for eleito perde completamente o crédito que tinha junto dos Portugueses; deixa de ser uma referência da República para passar a ser o candidato recusado pelos eleitores.
Este panorama será bom para Portugal? Não seria mais conveniente ter Mário Soares como a voz crítica? Mas, por outro lado, o candidato eleito — no caso de não ser Soares — vai fazer como todos fizeram até agora: um primeiro mandato de gestão cautelosa para não desgastar a imagem e um segundo mandato mais interveniente. Será isso que o país necessita na situação de crise em que se encontra? É que, bem vistas as coisas, e sabendo todos nós que Soares é realista nos seus juízos, ele, na verdade, vai candidatar-se a um mandato, porque a idade pode não lhe permitir concluir o segundo. Então, visto o panorama desta forma, Soares pode ser muito mais interventor — no sentido de corrigir o «rumo de navegação» do Governo — do que um qualquer outro candidato e, assim, ganhavam os Portugueses e Portugal.
Mas será isto o que pensa Mário Soares? O pronto apoio de Sócrates deixa-me desconfiado!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2005
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D