Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Fio de Prumo

Aqui fala-se de militares, de Pátria, de Serviço Nacional, de abnegação e sacrifício. Fala-se, também, de política, porque o Homem é um ser político por ser social e superior. Fala-se de dignidade, de correcção, de Força, de Beleza e Sabedoria

Do multiculturalismo à integração diferenciada

20.08.21, Luís Alves de Fraga
  A retirada das tropas dos EUA do Afeganistão veio reacender a questão do futuro das culturas nacionais europeias nos Estados onde existe elevado número de imigrantes muçulmanos.   O melhor pensamento estratégico para abordar este assunto não passa pela intransigência a todo o custo, pois, adoptando uma tal posição, a Europa está a colocar em risco a democracia, dando, de mão-beijada, larga margem do eleitorado aos partidos radicais, xenófobos e racistas, enfim, (...)

Cabul e a vitória da guerrilha

17.08.21, Luís Alves de Fraga
  O Afeganistão foi um território onde ingleses, russos e americanos nunca conseguiram impor-se à cultura local. Só há uma explicação para isso: ao contrário de compreenderem o povo afegão, os seus costumes, as suas necessidades e os seus anseios, tentaram ocidentalizá-los, abrindo estradas, fazendo escolas e hospitais. Tudo isso constituiu um tremendo erro. O islamismo tem de ser compreendido, estudado e interpretado segundo os princípios que o regem. A primeira grande (...)

Vagas de calor

16.08.21, Luís Alves de Fraga
  Passei férias de Verão mais de doze anos num pequeno “Monte” muito cerca da fronteira de Ficalho, no chamado Alentejo profundo. Cheguei a estar por lá dois meses ou, até três, no tempo de maior calma (do mais seco calor), que vinha sempre quando o vento ‒ às vezes, uma simples aragem ‒ soprava de Espanha. Só a sombra do interior da casa com os lambazes salpicados de água fresca do bidão onde fazíamos reserva, vinda a braço, em baldes e cântaros, do poço próximo, (...)

Aquilo de que não falamos

11.08.21, Luís Alves de Fraga
  Raramente os nossos noticiários, tanto de televisão como de rádio ‒ dos jornais e revistas nem falo ‒ dedicam tempo a explorar, informar, esclarecer, opinar ou reflectir sobre o que se passa, o que se legisla, o que se intriga, o que se discute, o que se pensa nos corredores da União Europeia (UE). Qualquer noticiário televisivo gasta largos minutos a informar sobre desporto, acontecendo o mesmo na emissora radiofónica pública (Antena 1) que, a cada meia hora, despende (...)

A estratégia das grandes potências

27.07.21, Luís Alves de Fraga
  Porque na notícia saída no “El Pais” de hoje sobre a possibilidade de Marrocos ter espiado as comunicações telefónicas do Presidente de França há um grande fundo estratégico, e porque a França e Marrocos são aliados, para reforço do muito que tenho afirmado sobre Defesa Nacional, resolvi traduzir e transcrever uma parte dessa notícia, de modo a que os meus leitores e amigos possam perceber a diferença entre a Defesa e Segurança, em França, e a Defesa Nacional, no (...)

As pétalas dos cravos também caem

25.07.21, Luís Alves de Fraga
  Abril, o Abril de Portugal, o do renascimento da esperança ao parir, de novo, a Liberdade, ao propor, de novo, a Democracia, o Abril com cravos nos canos das G3, está a perder folhas. É o tempo, dizem uns, é a idade, dizem outros, é a doença, afirmam alguns entendidos.   Abril foi um tempo de tudo, em que muitos quiseram demais e outros queriam de menos. Muitos queriam, sem saber, um sonho, uma utopia. E Abril também foi tempo de utopias!   Saraiva de Carvalho, não é (...)

Ainda a Reforma e a dúvida do Almirante

22.07.21, Luís Alves de Fraga
  O almirante Alexandre Reis Rodrigues levantou, há pouco tempo, num artigo intitulado «As razões que a razão não entende», a questão da justificação mais profunda para se verificar a alteração que o ministro da Defesa Nacional propõe para a estrutura dos altos comandos das nossas Forças Armadas. Ao ler, com atenção, o texto fui sendo levado para memórias já quase esquecidas sobre assuntos militares aos quais dediquei alguma atenção há anos. Comecei a juntar pontas: (...)

Lógicas e ilógicas

20.07.21, Luís Alves de Fraga
  Ler o Decreto-Lei n.º 102-D/2020, aquele que tem origem nas directivas da UE sobre resíduos e reciclagens é um frete insuportável. Por ali se percebe o que se faz no parlamento europeu e em Bruxelas. Segundo parece ‒ mas é mesmo só por parecer ‒ a intenção é magnífica, mas, para quem olha com um olhar crítico este mundo de consumo só tem vontade de os mandar a TODOS para um sítio que socialmente estou proibido de dizer.   Vamos lá ver. Este mundo está montado no (...)

Um milhar

17.07.21, Luís Alves de Fraga
Este blog começou em Agosto de 2005 e acabei há pouco de colocar o milésimo texto. Sinto-me satisfeito, porque neste espaço, tenho por hábito escrever crónicas com alguma dimensão (quase sempre mais de uma página A4) o que, sem fazer qualquer contagem, me leva a pensar que, por aqui, já estão mais de mil páginas publicadas. Não sei se terei tempo, paciência e disposição para fazer uma recolha com a respectiva selecção por temas ou assuntos de modo a pensar na (...)

Cuba, o Socialismo e a Liberdade

17.07.21, Luís Alves de Fraga
  O contexto do nascimento do socialismo em Cuba é tão diferente daquele que hoje se vive no mundo como o de um dia de sol é para uma noite de lua nova (o céu está plenamente escuro). Cuba era e foi, durante todo o tempo anterior à vitória da guerrilha começada na Sierra Maestra, um feudo da pouca vergonha dos americanos medianamente endinheirados! E, meus amigos não me digam que é fantasia, porque, para poder estabelecer uma comparação plausível, ao que era Havana para os (...)