Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo



Quarta-feira, 03.01.18

O mal de Marcelo

 

Fui um dos que não votou no Prof. Doutor Marcelo Rebelo de Sousa aquando da eleição para a Presidência da República, mas fui daqueles que, passados os primeiros meses, acabei por admirá-lo pela sua capacidade de presença - sublinho, PRESENÇA - junto das gentes anónimas, nos momentos convenientes e necessários. Tempos mais tarde, comecei a achar exagerada essa "hiperactividade", já não tanto por ser simplesmente exagerada, mas por ser "palradora".

Bolas, o Presidente está e, mais do que estar, não está calado!

 

Reparem que Marcelo ao deslocar-se a tanto lado habituou-se, e quase exige, à presença dos órgãos de comunicação social e, estando estes presentes, eles querem ouvir o Presidente sobre a razão da deslocação e sobre tudo o que é mais importante, nesse momento, em Portugal. E Marcelo, que podia escusar-se a responder, responde. Responde constantemente e emite opiniões. Opiniões que são, de imediato, interpretadas, dando oportunidade a transformarem-se em "recados" ou, no mínimo, em "pressão" sobre quem tem de decidir.

 

Deste modo, para a gente anónima, Marcelo Rebelo de Sousa, é o "Presidente dos afectos", todavia, para quem pensar um pouco, ele é o "Presidente das pressões". Pressões que interferem na governação e podem vir a gerar um grave problema de convivência entre S. Bento, Belém e a Assembleia da República.

A hiperactividade de Marcelo Rebelo de Sousa pode transformar-se numa "hiperexplosão" política e social.

Cuidado com o futuro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 20:14



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Janeiro 2018

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031