Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fio de Prumo



Domingo, 04.07.10

Hospitais e saúde militar

 

Propositadamente tenho mantido silêncio sobre a magna questão da saúde militar e da criação de um hospital das Forças Armadas.

O meu silêncio justifica-se, porque, mais uma vez, o Poder político nacional vem dar provas da sua arrogância, da sua teimosia e, acima de tudo, dos seus preconceitos relativamente às Forças Armadas. Este Poder é irredutível e comporta-se ditatorialmente na relação com os militares. Peca pelo cometimento de várias más acções, mas aquela que mais afronta é a da ausência de subtileza, de mestria, de diplomacia na lidação com as Forças Armadas. Nem o ditador Salazar assim procedeu! O Poder político no Portugal democrático desbaratou as Forças Armadas como o faria, sobre os pobres transeuntes, qualquer touro bem bravio largado na avenida da Liberdade na hora de maior movimento! Só se lhe distingue no olhar a fúria da destruição, nada mais. E isso começou a acontecer nos já longínquos Governos de Cavaco Silva, através de um tal ministro — que desapareceu de cena — que dava pelo nome de Fernando Nogueira. Daí para a frente foi um fartar vilanagem! Já lá vão cerca de vinte anos.

 

Chegou agora a vez de acabar com os hospitais militares pertença de cada Ramo das Forças Armadas. Alega-se — se é que se alega alguma coisa! — necessidade de rentabilizar e economizar esforços financeiros, materiais e pessoais. Mas este argumento é tão precário, tão descabido, tão néscio que dá vontade de perguntar: — Desde quando é que à boa utilização das Forças Armadas se aplicam as regras invisuais da Economia? As Forças Armadas, senhores governantes, podem ser eficientes, mas têm de ser sempre eficazes (saberão, vossas excelências, a diferença entre uma coisa e outra?)! Se a tradição estabeleceu três hospitais para as Forças Armadas não o fez por luxo, por desperdício ou por vaidade. É preciso não perceber nada da superior finalidade das Forças Armadas e da importância de cada Ramo para acabar com três hospitais — que, naturalmente, obedeciam a idiossincrasias específicas (sabem, vossas excelências, do que estou a falar?) — reunindo num só todas as valências até então dispersas. É preciso não saber o que é um estado de conflito militar, de guerra, para tentar fundir num só pelouro a medicina castrense! É preciso nunca se ter estudado e meditado sobre o que foram os serviços de saúde durante os dois últimos conflitos militares em que as Forças Armadas estiveram envolvidas — refiro-me à Grande Guerra e à Guerra Colonial — para os resolver fundir sob a capa de um só hospital! Mas, desta falta de meditação e de estudo, também são responsáveis os decisores militares, a grande esmagadora maioria feita e desenvolvida na paz podre que se seguiu ao 25 de Abril de 1974. Julgam, governantes e decisores castrenses, que se improvisa ou se reformula de um momento para o outro um serviço de saúde militar! Atrevida ignorância! É atrevida, porque se têm dado machadadas na estrutura castrense, julgando e baseando essa mesma estrutura no quadro estratégico de conflitos que nos passam à margem, lá em terras distantes. É atrevida, porque se tem olhado para as Forças Armadas unicamente como instrumento do desenvolvimento de uma política diplomática e de uma política externa integrada em cooperações internacionais. Ora, a missão fundamental e primária das Forças Armadas é a de garante da soberania nacional! Representa uma grande ingenuidade, um tremendo descuido, ou, em última instância, uma imperdoável ignorância acreditar que a defesa da nossa soberania pode estar entregue nas mãos de um qualquer aliado do momento! Ninguém nos vem acudir se o interesse nacional do auxiliador não passar pelo lucro alcançado com o auxílio. Quer dizer, estamos dispostos a alienar o direito indeclinável de defesa nacional, entregando-o de mão beijada a qualquer força que dele possa tirar vantagem.

 

A implosão do sistema de saúde militar tal como tem funcionado, secularmente, é um crime de lesa pátria, porque atenta contra a capacidade de mobilização, de actuação e de resposta do pequeno, mas ainda minimamente credível, aparelho militar português. O nome do ministro Santos Silva vai ficar ligado a um aborto conscientemente feito, conscientemente assumido e executado com rapidez para poder ser esquecido, se as mós da História não moessem devagar.

O crime não se fica só por estas linhas. Há mais, mas guardar-me-ei para próximo artigo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 18:58


8 comentários

De Sérgio a 04.07.2010 às 22:46

Caro... não faça dessas perguntas difíceis a estes "políticos" que por cá parasitam o País... diferença entre eficácia e eficiência? Isto de pensar provoca graves lesões cerebrais a esta gente que vagueia na Assembleia da República...

De Luís Ferreira a 06.07.2010 às 16:34

Convido-o a ler outro texto publicado em

http://dererummundi.blogspot.com/2010/07/dialogo-sobre-o-eduques.html

e a estabelecer os pontos de contacto entre as duas realidades.
Parece obra do acaso? Não me parece que o seja.

De Joao Luis a 08.07.2010 às 16:14

Ha que acabar com os lobies que existem na saude militar.
E só com a unificaçao se conseguirá uma saúde Castrense adequada.

De Anónimo a 29.07.2010 às 01:41

~Lobbies com fartura é o que stá a dar! OAs Dentistas usam os serviços dos Hospitais kilitares pata angariarem clientela para os Consultórios. Dizem mal do Serviço onde trabalham, dizem que ali não há isto nem aquilo , a seguir dão aum cartão de visitas e vão espoliar o nosso dinheiro para os Consultórios. Depois voltamos lá ao HSpital tirar pontos, e fazer tratamentos da treta. Obrigarama-me a comprar um implante para por no HMP de pois tive que ir pagar a coroa a um COnsultório pot 700 Euros, um trabalho que no LAboratório custa cerca de 100 Euros. No fima a ADm deu-me 119 Euros por uma despesa de 900. Vão orubar a outro lado!!!!

De pica miolos IV a 29.07.2010 às 01:35



LISBOA , 17/julho/2010

EXCELENTÍSSIMO GENERAL ARAUJO E GENERAL COMANDANTE DO PESSOAL DA FORÇA AÉREA E GENERAL DO CLAFA
VENHO EXPOR UMA SITUAÇÃO QUE ACONTECEU AO MEU MARIDO E QUE É BASTANTE GRAVE. MANDEI ESTA CARTA PARA O ANTERIOR DIRECTOR DE SAÚDE O DR CHARRUA E ELE NÃO FEZ NADA, SERÁ QUE TAMBÉM TIROU PROVEITO DOS TRATAMENTOS ELE OU A A FAMILIA?? O MEU MARIDO FOI SUJEITO A UM TRATAMENTO DE 2 IMPLANTES DENTÁRIOS NA CONSULTA DO DENTISTA DO HOSPITAL ONDE ERA SEGUIDO – FORÇA AÉREA, TENDO-LHE SIDO DITO PELO ENFERMEIRO MIRANDA QUE A ADM IRIA PAGAR QUASE TUDO E QUE PODERIA PAGAR AOS “BOCHECHOS”
DEPOIS DE COLOCAR OS IMPLANTES E PAGAR AO ENFERMEIRO 600 €, O DENTISTA DR PIRES DEU-LHE UM CARTÃO DE VISITAS DO QUAL JUNTO FOTOCÓPIA EM CIMA NESTA CARTA (ESTE E MAIS OUTRO DENTISTA É QUE O OPERARAM), PARA ELE DALI A TRÊS MESES TELEFONAR PARA AQUELE CONSULTÓRIO NA AVENIDA DE ROMA, ONDE COLOCARIA AS COROAS DENTÁRIAS NOS IMPLANTES, PORQUE ALI NO HOSPITAL NÃO HAVIA CONDIÇÕES PARA ACABAR O TRABALHO
ASSIM FEZ, TENDO PAGO 800 EUROS POR TUDO NA RECEPÇÃO DESSE CONSULTÓRIO, SEM PRIMEIRO LHE TEREM DADO SEQUER UM ORÇAMENTO!
ENTREGOU O RECIBO NA ADM E PASSADOS UNS MESES RECEBEU CERCA DE 200 EUROS APENAS.
NUNCA PASSARAM AO MEU MARIDO O RECIBO DO QUE PAGOU AO ENFERMEIRO DOS IMPLANTES
OS DENTISTAS E ENFERMEIROS QUE ALÍ TRABALHAM NÃO TÊM ORDENADO ?? TÊM QUE ANDAR A COBRAR DINHEIRO AOS DOENTES NUM HOSPITAL !!!!!
NÃO PODEM ENCOMENDAR OS TRABALHOS DAS COROAS A UM LABORATÓRIO E PAGAR-SE SÓ O PREÇO DE CUSTO?!! NÃO SÃO PARA ISSO OS HOSPITAIS? NINGUÉM LHE DISSE INICIALMENTE A ELE QUE TINHA QUE ACABAR O TRABALHO NUM CONSULTÓRIO PARTICULAR A PAGAR MAIS 800 EUROS !!!!!
ESTA É UMA COISA INDECENTE QUE SEI MUITA GENTE JÁ FOI LÁ TRATADA NESTAS CONDIÇÕES
FAÇA ALGUMA COISA PARA ACABAR COM ISTO SENÃO ENVIO A CARTA PARA OS JORNAIS
VIM A SABER QUE AQUELES DOIS CRÁPULAS CONTINUAM A FAZER O MESMO LÁ NO SERVIÇO DOS DENTES DO HFA!!!! PORQUE É QUE OS PROTEGE TEM MEDO?????. nOS PARELHOS DOS DENTES ÉA MESMA COISA TENHAM VERGONHA AGORA NEM OS FAMILIARES PODEM LÁ TRATAR OS DENTES!!!!
Esposa decidida de militar extorquido, aos quais militares deveria ter-se mais respeito e não tratarem co lixo

De joao a 06.08.2010 às 09:44

Este e mais um pequeno exemplo do que se passa na saude da Força Aerea.

De zeca diabo a 08.01.2011 às 11:33

Valente e corajosa minha senhora!
É pena não ter coragem de "se chegar à frente" a senhora e o marido e pediraem o que lhe sacaram.
Boa sorte na vossa luta

De batatas e tomates a 08.01.2011 às 11:53

Valente ! agora chega-te à frente e faz queixa no local adequado para o efeito (DIAP), para daqui a 5 anos prescrever e não ter servido para nada.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2010

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031