Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fio de Prumo



Sexta-feira, 11.09.09

Mais um aniversário

 

 
No dia 30 de Agosto — estava eu fora de Lisboa no gozo de umas curtas férias — passou o quarto aniversário da publicação continuada do «Fio de Prumo».
Não vou fazer uma análise do que foi mais este ano, até porque, devido a razões profissionais ligadas à minha actividade académica, não fui muito assíduo na colocação de crónicas neste blog. Realmente, não passaram de trinta e duas as postagens que deixei à crítica dos meus leitores.
O «Fio de Prumo» já conta com 254 crónicas que mereceram, desde 30 de Agosto de 2005 até agora, 1783 comentários. Ao relê-las vejo que tenho material suficiente para publicar dois livros de assuntos diferentes: um, sobre questões de ética e vida militar; outro, do âmbito da política nacional. Julgo que, no círculo dos meus leitores, tenho ajudado a provar que a Democracia pode ser um instrumento vivo e actuante, pois, ao escrever para a blogosfera, espero sempre contribuir com uma visão e uma interpretação pessoais dos diferentes temas de modo a despertar consciências, a avivar debates, a formar opiniões.
Nada prometo a todos os que visitam este sítio quanto a assiduidade de publicação, mas, neste momento, deixo-vos a minha profunda angústia quanto ao futuro de Portugal, ao futuro de todos nós e, até, quanto ao futuro da Democracia tal como vem sendo praticada, já que, ainda bem recentemente, um político responsável por um dos partidos candidato à governação, fazia a descarada apologia da democracia madeirense como exemplo de liberdade. Angustia-me o futuro dos meus filhos e dos meus netos, pois auguro-o bem mais negro do que foi a minha vida… E eu nasci em tempo de grandes restrições, vivi a minha infância e adolescência no pós-guerra mundial, estive presente duas vezes no teatro de guerra moçambicano e passei pelas crises pós-25 de Abril de 1974! Nada disto foi superior ao negrume que se avizinha para Portugal! Somos pobres e não sabemos comportarmo-nos como tal ou ultrapassar o patamar do infortúnio colectivo.
 
O «Fio de Prumo», fiel à verticalidade que as leis da Natureza lhe impõem, vai continuar enquanto as forças e o tempo não me alquebrarem.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 17:46


9 comentários

De mugabe a 14.09.2009 às 14:11

Apenas; muitos parabens e longa vida ao blog e ao seu autor.

Cumpts.

De José Cruz a 14.09.2009 às 20:47

Parabéns ao Fio de Prumo e um grande abraço ao seu autor. Longa vida a ambos, com a clareza e verticalidade de um e a lucidez do outro.

De HELDER MARQUES a 15.09.2009 às 16:29

Parabéns e tudo de bom para o blog e o autor...
Helder Marques

De Kenya a 16.09.2009 às 12:46

Cada novo dia oferece com ele uma nova esperança e novas determinações se apresentam.
De nada serve vermos negrume quando se sabe que a “hora” mais escura é sempre aquela que precede a Aurora.
Os receios apenas nos fazem fraquejar a com eles perdemos a força que nos leva a avançar no nosso caminho.
Se assim não é, pois Colombo, Da Gama ou Magalhães nunca teriam chegado onde chegaram.
Uma longa vida para Fio de Prumo, um abraço para o seu Autor e que novos horizontes se abram neste Blog.

De Fernando Vouga a 17.09.2009 às 13:10

Caro Alves de Fraga

Só agora é que disponho de uma ligação à NET com alguma fiabilidade. Estou a utilizar o meu minúsculo portátil (que nada tem a ver com o famigerado Magalhães...), dado que estou a cálidas milhas do meu poiso habitual e onde o sol nasce no mar.
Claro que lhe dou os parabéns. Neste seu espaço tive a oportunidade de ler e viver momentos inesquecíveis dos quais saliento o acto de coragem e frontalidade em relação às arbitrariedades de um tal CEMFA. Só por isso valeu a pena ter dedicado ao "Fio de Prumo" algum do seu precioso tempo.

Um abraço

De CãoPincha a 19.09.2009 às 22:40

Esperemos que as próximas eleições nos ajudem a tirar os pés da lama em que nos vamos metendo, bastante antes de entrarmos no pântano.
A nossa vida não foi fácil mas, apesar da repressão, tínhamos menos «vigaristas» do que agora a segurarem as rédeas do poder.
Facilitámos um bocado a vida dos nossos filhos mas agora, pelo menos em relação aos netos, temos de entrar activamente na política para ajudar o mundo, pelo menos o português, a melhorar um pouco.

De António José Trancoso a 25.09.2009 às 21:40

Meu Caro Alves de Fraga

Que a tua acção, cívica e pedagógico-cultural, prossiga, por muitos anos, neste teu espaço, são os votos de quem te lê atentamente.
Aceita o meu fraterno abraço.

De Carlos Nuno a 28.09.2009 às 23:33

Caro Amigo:
Confesso que tenho andado um pouco no "ar". Ainda venho a tempo de lhe deixar um abraço de Parabéns.

De Camoesas a 30.09.2009 às 12:41

Caríssimo Senhor Alves de Fraga,

Peço desculpa por nao lhe ter dado os parabéns (ou "parabenizado", usando aquele "acordo" que algumas cabeça enquanto mandantes assinaram…) atempadamente mas, como mais vale tarde que nunca, aqui ficam, Parabéns ao Senhor por fazer e manter este blogue.

Neste seu post, o que mais me chamou a atençao :

"O «Fio de Prumo» já conta com 254 crónicas que mereceram, desde 30 de Agosto de 2005 até agora, 1783 comentários. Ao relê-las vejo que tenho material suficiente para publicar dois livros de assuntos diferentes: um, sobre questões de ética e vida militar; outro, do âmbito da política nacional."

Chamou-me a atençao e acredito. Acredito que poderia e deveria ser publicado, nem que só em versao electrónica se nao possível em papel;

- O autor do blogue "doportugalprofundo", o Professor Antonio Balbino Caldeira, outro ilustre defensor da liberdade conquistada em Abril, assim o fez após dificuldades várias … de tentar uma publicaçao nacional em papel. Conseguiu publicar, em papel, no exterior e também publicar em versao electronica com download gratuito.

Claro que teve despesas pois a ediçao nao se destina a ser lucrativa e a versao papel só cobre o seu proprio custo.


Lembrei-me!

Talvez A.B.C. tenha aberto ou pelo menos mostrado a porta a outros lutadores pela Liberdade de expressao e Democracia cá no "burgo".


Proponho:

Partindo do princípio que o Senhor Alves de Fraga estaria disposto a ter outra vez problemas com a "democracia" do senhor licenciado Pinto de Sousa e com a última revisao do RDM e …

- Iniciar, divulgar e fazer crescer uma corrente de apoio, solidariedade e recolha de fundos para o efeito, a publicaçao do livro "Fio de Prumo". Basta criar uma conta bancaria, divulgar o número e o seu propósito e tenho a certeza que logo começaria a ter saldo.

Prometo aqui, publicamente que logo de início, contaria com um depósito de alguém com o meu nome…


Antevejo:

A capa do livro; Negra (como negra é a "Democracia" em que vivemos), com um fio de prumo dourado (como dourado e nobre é o seu autor e os seus escritos), vertical a 3/4 da esquerda para a direita da capa.
No canto superior esquerdo, a branco no preto da capa (porque preto no branco actualmente nao é permitido, só se pode falar "branco no preto"), o título "Fio de Prumo" .
No canto superior direito, a preto e branco (pelos mesmos motivos e também por questao de gosto artístico) a foto do Senhor Alves de Fraga e o seu nome.

Certamente que só e dentro da Família Militar, um pouco a cada, muitos se juntarao para assim homenagear alguém que por ela muito se tem batido. Na sociedade civil, também tenho a certeza que, o apoio e reconhecimento nao lhe faltaria.


Um abraço,

Camoesas

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2009

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930