Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fio de Prumo



Segunda-feira, 08.12.08

Suplemento da condição militar

 

 
Foi anunciado o aumento do suplemento da condição militar pelo ministro da Defesa, Severiano Teixeira. O anúncio vinha acompanhado de exemplos de valores que passariam a ser abonados a alguns tipos de graduados militares.
 
Segundo parece e de acordo com informação da Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) os valores anunciados pelo referido ministro estarão errados. Ele terá indicado valores bem mais altos do que aqueles que se obtiveram fazendo as contas com base nos vencimentos propostos. Quer dizer, e salvo qualquer erro da AOFA, mais uma vez Severiano Teixeira vem à ribalta anunciar o que não é verdade.
 
Esta atitude é altamente maliciosa, pois que dando o ministro valores maiores para o suplemento da condição militar inculca imediatamente uma ideia na mente dos Portugueses que com muita dificuldade poderá ser modificada. Este é o truque mais elementar de qualquer aprendiz de manipulador de opinião pública: lança-se uma mentira para os meios de comunicação social e, depois, face à afirmação da verdade e das rectificações dos lesados, persiste a dúvida nas multidões sobre quem está correcto. Isto tem um nome: má fé.
 
Independentemente deste pormenor que não pode ser considerado despiciendo há um outro que, por causa das voltas que em política os políticos dão, deveria ser devidamente assegurado. Vamos pois, tão sinteticamente quanto possível, explicá-lo.
 
O pagamento dos militares faz-se segundo duas componentes salariais: o valor correspondente ao vencimento do posto e o suplemento da condição militar que lhe é percentual. Quer dizer, um aumento nesta última parcela não dá garantias iguais às de um aumento na primeira, porquanto, qualquer Governo, com quaisquer fundamentos pouco legítimos, mas legalizados pelo exercício do poder, elimina o suplemento da condição militar e tudo se fica pelo valor do vencimento do posto.
É uma hipótese absurda? Quem diria, há seis anos, que o sistema de assistência na doença poderia ser alterado de modo a ficar como ficou? Quando o interlocutor não é pessoa de bem, todos os cuidados são poucos! E, como se tem visto, o Estado Português não se tem comportado, através dos seus agentes governativos, como pessoa de bem!
Os aumentos salariais dos militares devem reflectir-se na parcela correspondente ao vencimento e o suplemento de condição militar poderá ser um valor fixo e igual para todos quantos servem nas fileiras. Assim, a designação estará certa, pois tratar-se-á de um pagamento inerente à condição castrense; nada, no exercício da função militar, diferencia o soldado do general, porque a condição é a mesma. O que estabelece a diferença é o vencimento que cada um aufere pelo tipo de conhecimentos e responsabilidades que lhe são inerentes no exercício de funções distintas.
É no soldo (tipo de pagamento devido aos oficiais) que um coronel tem de voltar a ser equiparado a um juiz ou a um professor catedrático; não é através do suplemento de condição militar!
 
Esta é uma opinião pessoal que expresso dentro da liberdade que me confere a Constituição da República. Não estou a defender nenhuma corrente de pensamento ou qualquer instituição organizada. Falo, como sempre o fiz, por mim!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 10:42


44 comentários

De CRN a 08.12.2008 às 11:57

Luis,
Estando de acordo com aquilo que reclamas, discordo não obstante do último parágrafo, enquanto negas a defesa de uma isntituição organizada.
Quando manifestas a igualdade de direitos dos praças aos oficiais, defendes as forças armadas, os seus elementos e como tal, ainda que por tua vontade, referes-te a um colectivo em concreto.

A revolução é hoje!

De A. João Soares a 08.12.2008 às 12:04

Muito bem explicado. E é preciso também ficar claro que esse suplemento constitui uma ínfima parcela do salário mensal, pelo que um aumento suponhamos de 20% no suplemento, traduz-se num minúsculo aumento daquilo que os militares recebem. Esse pode ser o sofisma de referir a percentagem em relação ao suplemento. Porque se esse aumento em euros fosse referido ao vencimento, a percentagem seria ridícula.
Os políticos podem ser ignorantes mas são espertos e têm os seus objectivos pessoais e de partido com que querem ser coerentes. Nada acontece por acaso!!
Abraço
João Soares

De Sérgio Miguel a 08.12.2008 às 16:17

Muita coisa "esquisita" ronda este anúncio de aumento do SCM. Começa logo no comunicado publicado pelo Governo
"O Conselho de Ministros, reunido hoje na Presidência do Conselho de Ministros, aprovou os seguintes diplomas:

1. Decreto-Lei que procede à segunda alteração ao Decreto-Lei n.º 328/99, de 18 de Agosto, que aprova o sistema retributivo aplicável aos militares dos quadros permanentes (QP) e em regime de contrato (RC) das Forças Armadas"!!!!!
"alteração ao Decreto-Lei n.º 328/99"... pelo anteprojecto este decreto-lei é revogado!?!
Feitas as continhas pela portaria-conjunta para 2009 existem postos que ficam a receber menos SCM do que se se mantivesse o regime actual, especialmente gritante é o caso do posto Soldado que nas duas posições remuneratórias perde SCM!
De relembrar que para 2009 o suposto 1º aumento de percentagem, dos 14,5% para os supostos 17.25% é praticamente virtual para os postos de Soldado até Sargento Chefe- e de Aspirante até Capitão pois o SCM fixo de 31,05 (valor 2009) é absorvido!
Estou igualmente totalmente acordo com o SCM ser de valor igual para todos os postos. Aliás conforme está (2009) é aberrante pois teremos um General a auferir 802,37€ apenas de SCM enquanto que um Soldado aufere 684,25€ de remuneração mensal (remuneração base (583.58€)+SCM (100.67€). Será que isto ajuda a Coesão Militar. Onde anda a Família Militar e o seu Espírito?
A Média do SCM (2009) é de 347,16€, será que receberem todos igual SCM é assim tão dispendioso para a Fazenda Nacional?

De Mugabe a 08.12.2008 às 18:47

Os militares são civis fardados,..é claro que têm todo o direito de reivindicarem e defenderem os seus interesses profissionais, tal como as outras classes profissionais têm esse direito, e seria bonito ver-se todos apoiando-se mútuamente,...o problema é quando se olha só para o próprio umbigo. Quanto ao Estado do binómio ser pessoa de bem, todos os cidadãos conscientes sabem o que se passa.

Cumprimentos

Assinado
Mugabe ( apesar do nome fazer engulhos a alguns hihihihi )

De António José Trancoso a 10.12.2008 às 08:42

Com que então, "os militares são civis fardados"?!
Cada cavadela,cada minhoca!
Será que o assassino, de quem recolheu o nickname, quando se encafua numa espaventosa farda, deixa de ser quem é, e passa a militar?
Se ainda dissesse que os militares são ex-civis, estaria muito perto do entendimento do que é a Condição Militar. Doutro modo, antes de abrir a boca, melhor seria pensar duas vezes.
A não ser que a empedernida costela da provocação seja tão rígida quanto a ausência de sensatez e clarividência.
É bem certo que "a ignorância é atrevida"...

De Mugabe a 10.12.2008 às 13:02


Caro Trancoso, já estava com saudades suas...! e pelos vistos, você ficou com a pedra no sapato a meu respeito...é bom sinal !!
Quanto a mandar-me calar a boca digo-lhe o seguinte, nem na ditadura, essa sim assassina me calaram, não era você agora que o ia conseguir. Não me diga que essa tendência lhe veio para ficar, olhe que agora os tempos são outros, não vai levar nada. Mas sempre lhe digo que é de militares como você que eu receio...espero e desejo que Portugal esteja livre disso.

De António José Trancoso a 10.12.2008 às 22:26

"Democrata" Mugabe
Lamento não poder retribuir as saudades pelos seus comentários. Pelo visto, lá diz o ditado que "Quem nasce torto,(...)".
No entanto, se a intenção é a crítica pelo absurdo(?!), então, terei de dar-lhe parabéns.
Se assim não for - e a dúvida é plausível - impõem-se alguns esclarecimentos, que o ajudem na interpretação do que escrevi.
Primeiro: Não o mandei calar-se. Sugeri que pensasse duas vezes, no sentido de precaver-se contra a emissão de uma enormidade;
Segundo: Não tenho autoridade moral para duvidar da sua postura ao tempo da ditadura, mas, a avaliar pelas suas posições actuais, sou levado a crer numa viragem de 180º ( o seu ídolo, Mugabe, não é, nem ditador, nem assassino...). Como faz questão de dizer, "agora os tempos são outros"...;
Terceiro: Não tem que recear (mais uma vez labora em erro de avaliação). Sou civil, mas tendo cumprido, o melhor que soube, as minhas obrigações militares, não esqueci os Valores que norteiam a Condição Militar. Condição essa que, pela sua especificidade, inequivocamente, a distingue da Civil.
Presumo que,ou terá ficado isento daquele cumprimento, ou, passou por ele como residente do andar superior que ignora a existência de vizinhos nos andares inferiores, ou, por alguma razão inconfessável, ter-se-á dado mal...
É bom que não se confunda a árvore com a floresta.
E, note, que as mais altas, na maior parte das vezes, não são as mais sólidas: vergam-se, ao sabor dos "ventos dominantes". Esquecem-se da sua primitiva condição; "civilizam-se". Desmilitarizam-se.
Dessas é que há sérios motivos para receio.
Como vê, andando e aprendendo...

De Mugabe a 11.12.2008 às 00:38

Trancoso; você deve andar a comer muito queijo,...já se esqueceu que num momento mais atrás lhe disse que estive em Angola a servir no exército colonial e me empenhei com todo o vigor no PREC com muito orgulho,..esclarecido ?? MFA..diz-lhe algo ?
Quanto a não recear,..era só o que faltava,..recear o quê ?? você mete medo a alguém ??
Sou civil por opção e nunca fiz nem faço as confusões que são gratas à maioria dos militares, estou a falar de confusões políticas para que não restem dúvidas, naquela altura havia para todos os gostos,...mas infelizmente a maioria era reaccionária.

Quanto ao meu amigo Mugabe, de que você não gosta nada, sempre lhe digo o seguinte; Mugabe é um nacionalista africano que lutou de armas na mão (não ficou nas secretarias como muitos...! ) contra os fascistas/colonialistas ingleses e agora resiste ás investidas do senhor Brown um neocolonialista, servidor de Bilderberg, que quer meter a pata nas riquezas do Zimbabué e com a ajuda da CIA favorecer os colonos ingleses que ainda por lá andam,...só que agora estes têm que ter juízinho na cabeça e não embarcar em aventuras fascistas, por se não levam para contar. Percebido ou quer que explique ? lembra-se desta ???? Um salud para si !!

De Rui Saraiva Alves a 11.12.2008 às 13:29

O « amigo ( ?) Mugabe tem duas caracteristicas :
- 1) Ecreve para se ler e deve falar para se ouvir...
- 2) A frescura da sua “juventude”, constipa a malta toda...
O amalgama que nos demonstra é talvez o fruto de um entorpecimento de certas faculdades...como que um manjar preparado com leite coelhado, de origem bulgara e mundialmente apreciado, o ioguete, mas cuja data limite se encontra seguramente fora do prazo.
Lançando mão sobre o facto de que Mugabe lutou com armas na mão, o “nosso” Mugabe/bloguista defende o dictatus africano com unhas e dentes e apresenta-nos a riqueza dessa nação cujo Mugabe (mas o verdadeiro) derreteu, roubou, escamoteou e pôs toda a sua gente na miséria.
Acusando a Opus, o Vaticano, a Maçonaria, os Bilderberg...até parece tratar-se de pessoa informada, que não o é (!), e que entretanto diz-nos ter participado no PREC, vejam bem.
O PREC, na origem de um periodo de profunda instabilidade para Portugal, BRAVO sr. Mugabe/bloguista, pode na verdade limpar as mãos à parede.
O PREC, néscia aventura que bem contribuiu ao que sabemos...foi como o Sol de inverno, não aqueceu nem arrefeceu.
Quanto ao exército colonialista de que fez parte, confesso que o que me perturba é a palavra “colonislista”....mas diga-me sr. Mugabe:
- Em que Esquerda é que nos diz ter-se encontrado ?

Saudações.
Rui Saraiva Alves.

De Mugabe a 11.12.2008 às 20:42


Meu caro,...é evidente que você é um provocador barato, a quem não vou responder, pois não respondo a reaccionários fascistas, saudosos do 24, e do seu mentor intelectual o seu tio Botas !!

De Rui Saraiva Alves a 12.12.2008 às 13:43

A irresponsabilidade do que diz, verifica-se…é-lhe intrinseca .
O lado néscio das suas inépcias complica-se quando tenta ornamentar o que afirma...ja reparou ?
O folclor das ideias que expõe lembra-nos o “dictatus” de Kampala.
Idi Amin Dada também dizia palermices.

Oh Mugabe, em democracia as minhas opiniões têm exactamente o mesmo valor que as suas.
Não estou a ver essa do “mentor intelectual (?) nem a do Tio Botas (?) ou é que se refere ao seu antigo patrão ?
Provocador, sim, um pouco, mas creia que idiota não sou.
E ficamos assim pois este Blog tem a particularidade de ser um espaço interessante, com objectivos justos e cujo timbre é delineado pelo seu lado inteligente.

Um conselho oh Mugabe, mantenha-se cordial, calmo, não fique atrapalhado...o tempo dos receios ja passou...!

Rui Saraiva Alves.

De Mugabe a 12.12.2008 às 20:32


Oh Rui...já todos vimos que você procura salientar-se e exibir-se,...pronto, vá lá...já conseguiu,..vá lá ter com a sua cáfila e dizer essas baboseiras que gosta tanto de protagonizar.
E realmente também penso que este blog tem um lado inteligente, mas olhe que não é certamente o seu.
E quanto ao conselho meta-o onde muito bem entender.
Não se esqueça que foi você que veio ter comigo para enaltecer o seu chico-espertismo.

De Rui Saraiva Alves a 13.12.2008 às 10:51

De facto a tolerancia é uma grande qualidade, mas que tem limites.
Não sei bem o que é que o Mugabe pretende, como não sei também onde é que o “Mugabe” gostaria de chegar com a forma limitada (de que é possuido) e pouco cordial que utiliza para nos dizer aquilo que pensa, porém, uma coisa é revelada através das suas ideias:
- O conjunto das suas elevadas incapacidades...!
Bem compreendo a sua frustração, se o Mugabe tivesse optado pelo vedetariado teria as Luzes da Ribalta todas para si.
Os que não compartilham as ideias do Mugabe, é porque são fachos !?
Oh...curta imaginação !
E, Mugabe, como descubro que estamos em desigualdade “racional”, pois terei que lhe falar como quando falo ao meu gato...ou seja que devo escolher frases curtas e incisivas, que sejam (para ele, o meu gato, compreensiveis e claras)...é o seu caso e descubro que é assim que terei que passar a proceder (!)
Entretanto confesso-lhe que para mim é uma extrema dificuldade quando tenho que dialogar com o meu Tareco que, diga-se de passagem, é um excelente animal de companhia mas que me faz bastantes maldades.
Aproveito para reiterar o que ja lhe disse:
- Mantenha-se calmo, fique sereno e não esqueça manter o seu lado atento a coisas
interessantes desta vida, ah, e deixe-me dar-lhe um conselho, se por uma qualquer eventualidade não conseguir compreender o que por “aqui” se diz ou se pretender melhorar certas das suas afirmações, pode a qualquer momento consultar o Dicionario de Lingua Portuguesa...e descobrir, por exemplo, que um “facho” nada tem a ver com um fascista.
A consulta é gratuita.
Mas olhe Mugabe, pronto, não vou mesmo entrar na sua irracionalidade e ficamos assim porque conforme ja lhe disse sinto uma extrema dificuldade em dialogar com o meu Tareco...olhe, é isso e discutir com mulheres...é que não consigo mesmo.

Como não me escondo no anonimato, deixo-lhe uma cordial saudação estimando que consiga melhorar rapidamente e... assino com o meu nome...

Rui Saraiva Alves

De Mugabe a 14.12.2008 às 01:51


Pois....com mulheres deve ter algumas dificuldades deve...ahahahahahah.

Oh Rui vai chatear o Camões !!!!

De Rui Saraiva Alves a 14.12.2008 às 11:35

...até que enfim, caiu-te a mascara.
Custou, mas foi !
Alinha-te, perfila-te, apresenta-te e se tiveres coragem, diz como te chamas.
Rui

De António José Trancoso a 12.12.2008 às 01:17

Mugabe
Um de nós vive noutro planeta!
Senão, vejamos:
Como é possível que alguém, que se afirma ter integrado o MFA e participado com todo o vigor(e com muito orgulho) no PREC, se permite a empenhada defesa de um regime como o que é violentamente imposto ao desgraçado Povo do Zimbaubué?!
Como é possível que alguém que, implicitamente, se afirma um lutador pela Liberdade no seu País e, ferozmente, argumenta em favor de um facínora que ao longo de três décadas nunca a permitiu ao seu amordaçado povo?!
Como é possivel, a um, então, militar de Abril, a afirmação (pretendendo desfazer confusões políticas) que, em pleno desenvolvimento do processo revolucionário,"(...) infelizmente a maioria era reaccionária"?!
Apesar do queijo (que, de facto, ainda faz parte da minha dieta alimentar) tenho ideia da existência de uns grupelhos que se arrogavam ser detentores da verdade absoluta, e, assanhadamente, assestavam a sua gritaria nos alvos errados.
A coerência não era o seu forte. Para que não haja confusões, exemplifico:
Decorridos trinta anos, o célebre Educador do Povo, defende, em tribunal, os malfeitores que (des) governam a sua terra (a Madeira), para onde se desloca em Classe Executiva e honorários à altura (há quem diga que suportados pelo erário público regional);
outro (o tal que pretendia oferecer à sua sede o mobiliário que havia roubado à Faculdade) é hoje figura de proa da Europa neo-liberal !!!

Como disse, um de nós vive noutro planeta.

Ou será que, um de nós, come queijo fora de validade?!
Deve ser isso, deve !

De Mugabe a 12.12.2008 às 12:38


TRANCOSO

Admito que você por vezes me confunde,...mas acho que é por falta de definição sua !! mesmo assim, penso que é você que está a ver o filme ao contrário. Veja uma coisa,...o que é que o educador do povo da Madeira tem a ver com o assunto ?? está a falar de Jardim ? a que propósito ? o que é que ele tem a ver com o PREC ?? depois fala dum roubo numa faculdade...está a falar de Portas ?? o que é que ele tem a ver com o PREC ?? claro que eu sei que ambos são neoliberais fascizantes.....mas,.....que é que isso tem a ver com o PREC...meu caro tudo o que disse não passa de confucionismo...por favor defina-se !!

Quanto a Mugabe e ao Zimbabue,....tem a certeza de que lá não há liberdade ?? sabe do que está a falar ?? já lá esteve ??? sabe do boicote de que é alvo o Zimbabue patrocinado pelo senhor Brown ? Bom....ou não sabe de nada e fala de borla, ou então sabe de tudo e as intenções são outras...!!

De Fernando Vouga a 10.12.2008 às 21:46

Caro António Trancoso

Admiro a sua paciência. Embora escreva pessimamente, percebe-se vagamente que a criatura não gosta de militares. Se calhar já os provou e...

De Mugabe a 11.12.2008 às 00:50


Explique melhor onde quer chegar com essa do já os provou.....não o conheço de lado nenhum para me faltar ao respeito,...se quiser ser respeitado, respeite os outros.

Você deve ser a voz do dono....meta uma coisa nessa cabeça. Civis (governos) e militares não contam para nada,...quem manda em vocês ( soldadinhos de chumbo) são os senhores de Bilderberg, Opus Dei, Maçonaria, Vaticano e por aí fora....o resto obedece. Mas pelos vistos o seu forte é fazer o jogo dos grupos monopolistas/capitalistas que mandam no mundo, fruto certamente de uma educação política básica.

Venho a este blogue comentar com toda a correcção e não admito que palermas como você me venham chatear.

Mugabe contra os fachos....!!! hihihihihihi

De Bokassa a 11.12.2008 às 11:04

Meu Muito Querido Amigo e Correligionário

Força! Dê-lhes com força.

Pum, pum, pum...

De Rui Saraiva Alves a 12.12.2008 às 10:08

.Sr. Bokassa... (...ou: - beau qu'a ça, que é como quem diz: "beau kaka" ?)

..pum, pum, pum...mas que parvoice !
Pergunto:
- Ainda ha quem tenha tempo e (curto) espaço mental para tais babuseiras proprias de quem tem as lentes embaciadas ?

De facto um raciocinio curto nunca voa muito alto.

Rui Saraiva Alves.

De Desmancha - prazeres a 13.12.2008 às 15:56

Caro Rui Saraiva Alves

Eu não seria tão "violento" com o comentador que se intitulou de Bokassa...
A mim, que sou quem sou, tudo me leva a crer que se trata de pura ironia.
Em primeiro lugar, remete o Mugabe para a companhia de um outro "democrata" de idêntico calibre ("Diz-me com quem andas, dir-te-ei quem és".);
Em segundo lugar, situa este "revolucionário" Mugabe no ideário abstruso do provocador MRPP (daí os puns), pista que reforça fazendo alusão ao ex- Educador do Povo ,Arnaldo Matos, e ao bem-instalado na Europa neo-liberal, Durão Barroso, ambos figuras proeminentes daquele "Movimento Revolucionário" Pum Pum.
Pelas intervenções do inflamado Mugabe, sou levado a concluir que, ou o homem é ileterato (não sabe interpretar o que lê), ou se tem em demasiado boa-conta e faz leituras na diagonal, ou é um desonesto provocador a soldo dos que diz combater.
Meu caro Amigo, tudo é possível; até o impossível (como a desvergonha do ministrinho fazer promessas "eleiçoeiras", a que o Complemento da Condição Militar não escapa...)
Um abraço.

De Mugabe a 14.12.2008 às 01:59


Como tu és quem és....consegues ser tão estúpido como o Ruizinho......!

De Desmancha - prazeres a 14.12.2008 às 11:45

Mugabe
Pois claro que toda a gente é estúpida menos V.Exa. !
Bonzinho, bonzinho mesmo, era trazer o seu herói para Portugal, para aqui construir um novo paraíso.
No entanto, se o homem não quiser vir, há sempre a hipótese de nos mudarmos, de armas e bagagens, para lá. Já vou a caminho. Adeusinho.

De Rui Saraiva Alves a 15.12.2008 às 10:41

Exmo. Sr. Administrador do Blog Fio de Prumo.
O seu Blog tomou proporções inteligentes, abordando assuntos sérios e cujas convicções me revelam (a mim que não sou militar, mas que sou cidadão) as preocupações de quem serve e de quem serviu com a força na atitude, como é ainda o caso de todos os que com seriedade servem esta Nação.
E de repente, surge-nos um estupido...cujo intento é o de “escangalhar” o bom e bem-formado intuito deste espaço:
- O (pseudo) Mugabe !
Bem sei, Sr. Administrador, o seu espaço é honestamente livre e bem compreendo que sempre temos que oferecer a oportunidade a quem tem menos capacidades de se expressar como pode...esta é a grande regra dos que respeitam a democracia.
Bem haja.
Porém, devo acrescentar que o “nosso” poeta (?) Mugabe (cuja coragem lhe falta para nos dizer como se chama) vem dar uma nova vida ao seu Blog...não é a polémica que interessa ao poeta Mugabe; o que interessa Mugabe é dar ares à demencia que o alucina e à contradição que vai assim animando os seus cinzentos dias...coitado !
Mugabe poderia apresentar-se com certo respeito e deixar de nos mentir dizendo-nos que se pretende chamar de Mugabe...maluquices proprias deste tipo de personagem.
Mas, enfim, como sabe, mentirosos, proliferam nas esquinas do tempo que passa e teremos que aplicar todo o nosso esforço no sentido de consentir que a estupidez condimente a inteligencia e vice-versa...também faz falta de vez em quando.
Esperando que Mugabe comece a fazer parte da “rapaziada” que inteligentemente anima Fio de Prumo e se deixe infiltar pelo bom senso que por aqui vamos encontrando, desejo uma longa vida ao seu Blog.
Mugabe e estupidez é um novo pleonasmo.
Cordiais saudações.
Rui Saraiva Alves.

De Vilhão Burro a 16.12.2008 às 00:08

Ora aí está...
Cá para mim o Mugabe deve ser o Ministro da Defesa.

De Vilhão Burro a 16.12.2008 às 09:42

Já me ia esquecendo de dizer porquê...
Então o homem não é o único civil fardado que se conhece?
Sou Burro mas não sou assim tão parvo!

De Fernando Vouga a 11.12.2008 às 13:59

Não tenho nada que dar explicações. Cada um que enfie o barrete que quiser.
De resto, as explicações nem são necessárias, porque a sua reacção é esclarecedora...
Pelos vistos, acertei em cheio!

De Mugabe a 11.12.2008 às 20:35


OK ! estou esclarecido, é mais um facho aos saltos por aqui !!!! boa viagem !!!!

De António José Trancoso a 16.12.2008 às 01:21

Caro Monteiro Vouga
Para além da paciência é precisa alguma atenção às setas envenenadas com que alguns habilidosos intentam, sub-repticiamente, inquinar as justas reivindicações, como as que o nosso bom Amigo Alves de Fraga tem vindo a dar autorizada voz.
Parecendo dispicienda, toda esta polémica à volta das tiradas mugabianas, não o é.
Expurgada a aparente ligeireza de alguns dos comentários, surgem questões estruturais que importa colacionar para generalizada reflexão.
Assim, voltando à origem, pergunta-se:
Será que os Militares são civis fardados?!
A aceitar semelhante premissa tudo é posto em causa.
E, salvo melhor e mais abalizada opinião, a Condição Militar é a primeira a ser mandada às malvas.
Um abraço.

De Mugabe a 16.12.2008 às 11:46


Caro Trancoso,

Limitei-me como sempre faço, a comentar um blog que considero muito interessante sem nunca me imiscuir ou polemizar com outros comentadores. Não tenho culpa, é que apareçam uns quantos comentadores (você incluído) que em vez de comentarem o blog, apenas aparecem para me comentar a mim, duma maneira pouco ética, até para com o proprietário do blog.
À minha opinião de que os militares são civis fardados, você e principalmente outro personagem que gosta de se evidenciar, tomaram a opção de me insultarem o que provocou as minhas respostas. Se você acha que a minha opinião está errada, dê você a sua, que ainda não a ouvi! Já agora, nunca disse nem sugeri que a condição militar fosse mandada ás malvas,...mas insisto você vem aqui exclusivamente polemizar comigo e ainda não ouvimos as suas sábias posições.
E mais não digo, porque parece que já fui devidamente silenciado pelo dono do blog...que rica democracia !!!!!

De Adriano Rocha a 29.01.2009 às 16:00

Boa tarde (hora em que escrevo este comentário)

Sobre mim para ser bastante breve sou militar contratado e em breve irei passar a situação de disponibilidade. com o posto de cabo adjunto e conto com 10 anos de serviço militar (6 meses de SEN + 18 meses de RV + 96 meses de RC )

venho apenas comentar esta frase "militares são civis fardados"

para mim os militares são civis fardados que decidiram dedicar parte da sua vida á instituição militar e á nação portuguesa. mas antes de serem militares são cidadãos como qualquer outro que detem a nacionalidade portuguesa e como tal devem dar uso ao seu direito de reclamação, direito esse que encontramos na constituição portuguesa e segundo o juramento de bandeira que todos fizemos consiste em e passo a citar.

Juro
Como português e como militar
Guardar e fazer guardar
A constituição e as leis da republica
Servir as forças armadas
E cumprir os deveres militares
.
Juro
Defender a minha pátria
Estar sempre pronto a lutar
Pela sua liberdade e independência
Mesmo com o sacrifício da própria vida

realço principalmente o primeiro paragrafo "guardar e fazer guardar a constituição e as leis da republica", como é obvio não procuro de modo algum "incendiar" alguma resposta mas pareceu-me importante realçar este ponto.

por fim, apenas escrevo sou militar mas tambem sou cidadão

Adriano Rocha

De Rui Saraiva Alves a 10.12.2008 às 09:50

Do Latin « militare », nada nos define os militares como civis fardados, como nos conta o Sr. Mugabe, ...e isto, caro Senhor, nem no fundo, nem na forma.
Penso que, para todos os militares, as tradições republicanas e as responsabilidades profissionais são outras e nem sempre ser-se militar é uma opção...cumprir nem sempre é opção pessoal, como sabe.
Na vida civil as coisas são diferentes neste aspecto.

Quanto à sua alusão final, acho que o Sr. Mugabe tem razão em totalidade, Mugabe é de facto um nome que causa engulho e como sabemos, o engulho é a ansia que nos surge antes do vomito, é a nausea que precede esta indisposição...todavia, no sentido figurado é também um desejo veemenet, uma tentação...!...

O encontro final, que nos oferece, entre uma consoante e uma vogal, o tal “hihihi” que nos leva crer tratar-se de uma gargalhada de boa disposição, leva-me a pensar que ou a sua boa disposição é curta ou, ou a imaginação é limitada, ou...a garagalhada é balofa, que é como quem diz: - volumosa mas sem qualquer consistencia !

Cordiais saudações.
Rui Saraiva Alves.

De andrade da silva a 09.12.2008 às 17:49

CAROS CAMARADAS

Claro, que é sempre melhor alguma coisa do que nada, mas todos já sabemos que estes aumentos intercalares que já fazem parte do património dos governos PS deixam-nos no mesmo ponto.

O aumento será de 6% em dois anos, ou seja 3% ao ano, ao que se somar os 2.9% de aumento dará +- 6%, menos os 3% de inflação, dá um aumento real de 3% ao ano, para quem está a 50 pontos percentuais dos grupos de referência, não está nada mal.

Os pobres sempre agradecem e o Sr. 1º Ministro ficará muito contente que os agradecidos se calem, e lhe dêem o voto, para pagarem caro esse aumento de 3%.

Ninguém será mais sensível à situação do país e dos pobres que eu, isto é, para além das Teresas de Calcutá portuguesas, todavia se penso que devem ser resolvidas primeiro as questões da pobreza, não aceito que haja sempre milhares de milhões de euros para safarem meia dúzia de fortunas de indivíduos que deviam perder as suas fraudulentas fortunas e irem estagiar uns anos bons às cadeias.

A pseudo nacionalização do PBN tem um custo a cada um dos 10 milhões de portugueses, dos 0 anos aos 100 ou mais, de 100€, ao que se tem de juntar os custos do BPP, e neste caso estamos num banco virtual, e outras ajudas à banca etc.

Julgo que tudo é casuística eleitoralista, quando o que compete, como tenho defendido é um estudo e avaliação estrutural às forças Armadas, e quanto a este estudo tenho apresentado propostas à AOFA que por razões óbvias, não devo tornar públicas aqui, mas naturalmente defendo que não podemos ser uma guarda pretoriana, como parece defender o Sr. Salgado Matos, nem outra coisa que não cidadãos – militares.

Defendo também que não há lugar a complementos da condição militar, esta é uma qualidade inerente à profissão de militar, pelo que esta especificidade tem de estar reflectida devida e convenientemente no vencimento base. Os complementos e subsídios seriam para as actividades e situações extraordinárias.

asilva

De Camoesas a 10.12.2008 às 21:31

Manobras de diversão para camuflar danos colaterais!

A mentira pública sobre o valor do suplemento de condição militar, não só é uma manobra de publicidade enganosa que visa uma vez mais "atiçar" a opinião pública contra os militares (estratégia muito em voga contra várias classes de servidores do Estado) mas também, desviar as atenções, vulgo "atirar areia para os olhos".

A opinião pública foi assim uma vez mais envenenada e os militares ficam agora a discutir a chuva miudinha, esquecendo-se de olhar para as núvens negras que anunciam mais uma carga de água.

Enquanto discutem o suplemento, não prestam atenção à machadada que vão sofrer com o novo sistema retributivo e equiparação (integração) a posições remuneratórias da Administração Pública.
Equiparação que mais não é que desvalorizados, desconsiderados e desrespeitados.

Enquanto no regime ditatorial (acho piada dizer isto e referir-me ao passado), alguns postos estavam equiparados a Juízes e alguns outros a professores, com a nova equiparação, um Tenente-General "passa" a Comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros ...
Qualquer dia, no protocolo das cerimónias oficiais, os Comandantes de Bases Aéreas ou Navais e de Regimentos ou Quartéis do Exército, nem sequer têm lugar sentados no salão da Junta de Freguesia!

Nos lugares sentados e nos discursos, mais valia que depois de todos os cargos políticos, fossem retirados os Militares e assim, logo a seguir às Excelentíssimas Autoridades Civis se passasse imediatamente às Religiosas.

De Desmancha - prazeres a 11.12.2008 às 10:14

Senhor Coronel
Não querendo desmentir as preocupações aqui evidenciadas, parece-me necessário aligeirá-las.
Para isso basta verificar o enlevo que o sr. ministro da Defesa manifesta pelas Forças Armadas, patente no ar de felicidade que irradia quando se camufla (para que não haja mal-entendidos, quando enverga o uniforme camuflado).
Só é pena que a pose e a voz fininha não condigam com a típica virilidade militar. Ninguém é perfeito.
Mas que se esforça por copiar, lá isso, esforça.
Isto digo eu que sou quem sou.

De jose antonio borges da rocha a 11.12.2008 às 15:14

Como o meu Coronel sabe e tão bem e também tem manifestado os Governantes Modernos têm os ilitares como uma pedra no sapato: ISTO É TÊM DE OS MANTER, MAS NÃO OS SUPORTAM...

Na conjectura do presente só lhes ocorre dirigir lantejoulas às forças armadas quando estas PARTEM ou REGRESSAM de missões no exterior...

Quanto ao resto não passam duma insignificância institucional, tudo o que se sabe sobre matéria castrense advém da Directiva do Rumor: notícias fabricadas para atingir fins inconfessáveis (como a por si retratada), ou então corropios de papeis, fotocópias e mails mostarndo uma tabela de manã, uma alteração feita de tarde, etc., sem que a Hieraqruia fasse o "que quer que seja" para estancar o rumorejo e ESCLARECER a tropa: LIMITA-SE A ASSITIR IMPÁVIDA E SERENA, pudera acoitam-se no casulo do cargo para através dele manterem privilégios que aos outros é negado!?

Ainda hoje li na Imprensa credível (in Público) que o Ministério da Defesa remeteu cópia da Lei Militar para o PS, o PSD e o CDS, omitindo o PCP e o BE: eis o género de democracia vigente...

É claro que os partidos mutilados reagiram e qual não é o meu espanto quando leio o CDS a ripostar dizendo que é usual esta informação apenas circular nos partidos que aprovam a NATO...

Nem o Bilderberg vai tão longe.

saudação e Bom ano para Si e todos os que por aqui passam, independentemente da intenção que os move

De jykas a 12.12.2008 às 21:51

Isto chama-se PPT...Pura Perda de Tempo..ehehhe
O Trancoso tem 280 Anos...
.............
Há revolução ou não???

De Sérgio Miguel a 12.12.2008 às 22:33

Voltando ao tema da entrada!
Espreitem este link http://www.mdn.gov.pt/mdn/pt/Imprensa/notas/20081211_ComImp.htm

Mais uma vez alguém, das duas uma, ou não sabe ler o que escrevem e comunicam à comunicação social, ou não sabe fazer contas das mais básicas.

Basta fazer as contas, como deve de ser! e chega-se à conclusão que o SCM fixo afinal não é para ser absorvido? Ou é?

ENTRETANTO... e enquanto se distrai as massas com estes temas e formas de actuar duvidosas, faz-se assim em Conselho de Ministros de 11Dez08::
"3. Proposta de Lei que aprova o Regulamento de Disciplina Militar

Esta Proposta de Lei, a submeter à aprovação da Assembleia da Republica, vem estabelecer os valores militares fundamentais, as finalidades, o sentido e o conteúdo da disciplina militar, bem como o âmbito da sua aplicação, adequando a Disciplina Militar às mudanças ocorridas nas Forças Armadas em particular e na sociedade em geral nas últimas três décadas. Imprimindo ao processo disciplinar elementos de evolução e modernidade, mas mantendo a coerência com o núcleo valorativo essencial da disciplina militar, orientaram a revisão do Regulamento de Disciplina Militar três grandes objectivos:

Em primeiro lugar, visa-se uma actualização e concretização objectiva dos deveres militares, procedendo-se a uma definição clara dos deveres especiais dos militares, a par da clarificação de quais se aplicam fora da efectividade de serviço, como seja o dever de disponibilidade, próprio dessa situação, ou o dever de aprumo. Em segundo lugar, pretende-se eliminar as penas tidas como excessivas no actual contexto, como a pena de reserva compulsiva e a pena de prisão disciplinar agravada, bem como a introdução de novas penas, decorrente do serviço militar ser hoje prestado também por militares em regime de voluntariado e contrato.

Do mesmo modo, pretende-se consagrar plenamente o princípio da igualdade, face à Lei e à Disciplina, de todos os militares, independentemente do respectivo posto, pelo desaparecimento da estratificação das penas em função da categoria dos militares (oficiais, sargentos e praças).

Em terceiro e último lugar, visa-se a concretização de princípios e normas tendentes a reforçar a salvaguarda das garantias materiais e processuais do arguido desde logo pela definição do momento a partir do qual o militar fica constituído naquela qualidade e qual o complexo de direitos e deveres que lhe assistem como tal."

Ora aí vão elas!!!!!

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2008

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031