Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Fio de Prumo



Quarta-feira, 25.04.07

Um autarca e um general

 
Ontem, ia ao volante da minha viatura e ouvi uma estranha notícia na rádio: o Chefe do Estado-Maior do Exército (CEME), general Pinto Ramalho, havia anunciado aos meios de comunicação social o reforço da guarnição militar de Beja com mais um batalhão operacional e a intenção de guarnecer militarmente Tavira — que foi em tempos um grande centro de formação de sargentos milicianos de Infantaria.
 
O locutor retransmitiu a satisfação do autarca de Beja por ver revalorizada a sua cidade com mais gente, dando-lhe uma maior importância, e ressaltou, com grande ênfase, a posição do autarca de Tavira — o activo político e ministro do tempo do cavaquismo — Macário Correia, que se refugiou no seu couto algarvio há já muitos, muitos anos. E a estação radiofónica reproduziu as palavras do autarca do PSD:
— Não era um qualquer general quem decidia se uma localidade passava a ter ou não mais militares; que, nos seus diálogos com o ministro da Defesa, estava garantido o contrário do que Pinto Ramalho afirmava.
 
É o despudor absoluto! É a arrogância elevada ao mais alto grau!
 
Quem julga que é o senhor engenheiro (a gente até já tem medo…) Macário Correia? Que importância a si mesmo se atribui? Que projectos escondidos tem este autarca de Tavira? Que sonhos acalenta à custa do património militar?
 
Saberá Macário Correia que qualquer Chefe de Estado-Maior dos ramos das Forças Armadas é responsável ao nível nacional — com repercussões internacionais — pela prontidão técnica dos meios que comanda? Saberá que é a ele quem cabe a escolha do dispositivo das forças que tem sob as suas ordens? Que é ele quem diz se uma unidade é mais necessária num determinado local do que noutro?
 
Pelos visto não sabe e não quer saber!
 
Claro que o mais elementar bom-senso leva a que existam um conjunto de decisões que os Chefes militares, ainda que as possam e davam tomar — por ser deles a exclusiva responsabilidade das mesmas — informem o ministro da Defesa, enquanto responsável político e não técnico, como é evidente. Ainda não chegámos ao ponto de as decisões militares, que estão orientadas para a prontidão dos meios, serem tomadas pelos políticos! Isso costuma acontecer em regimes ditatoriais.
Claro que, como é mais fácil fazer revoluções políticas do que revoluções de mentalidades, estas manifestações de políticos influentes só vêm provar que a cultura salazarista, a cultura ditatorial, a cultura fascizante ainda não foi completamente erradicada da cultura portuguesa depois de trinta e três anos de parlamentarismo. Ainda há por aí muita gente que se diz democrática, que ocupa até lugares com relevo no aparelho do Estado, portadora do terrível vírus autoritário inoculado neles, ou nos seus progenitores, no tempo do anterior regime. É que isto de democracia, mais do que nos livros ou na escola, começa por se aprender em casa. Em casa, meus senhores! É no leite materno e sentado à mesa paterna que se deglutem os primeiros sustentáculos de uma mente livre e democrática ou de um espírito retrógrado e autoritário.
Pelos vistos, o senhor engenheiro Macário Correia comeu autoritarismo em excesso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 10:13


7 comentários

De Fernando Vouga a 26.04.2007 às 14:55

Caro Fraga
Não quero ser ave de mau agoiro mas temo muito que essa criatura que está à frente da CM de Tavira esteja cheia de razão.

De Camoesas a 28.04.2007 às 12:37

O que eu estranho é que um qualquer autarca de entre as dezenas deles que existem em Portugal, tenha o despudor e a ousadia de se referir a um dos APENAS 3 Chefes de Estado Maior que existem, como sendo um qualquer...
Não será tempo das chefias militares começarem a processar ou de alguma forma punir, estes senhores que bebem autoridade de forma tal que ficam "bêbados" de autoritarismo?

Camoesas

De Camoesas a 28.04.2007 às 13:01

Imaginemos agora que um qualquer autarca de entre tantos, que tenha a barriga tão cheia quanto este, chega um dia a sentar-se na cadeira de primeiro-ministro...
...Como se referiria ele aos poucos Generais que ocupam o topo da cadeia hierarqiuca militar?

Talvez mudasse logo o protocolo e os fizesse sentar atràs da senhora da limpeza. O senhor (engenheiro) Macário não terá toda a culpa desta ousadia e falta de respeito pela Instituição Militar representada pelos seus topos mais altos. A culpa não será toda dele a não ser que tenha "carta branca" e se considere acima de todos e ainda por cima inimputável de qualquer responsabilidade ou no mínimo, falta de educação e respeito.
Um general Chefe de Estado Maior, não é um qualquer autarca que gere os destinos de uma qualquer cidade com alguns milhares de habitantes; Um General Chefe de Estado Maior, gere não só os milhares de homens e os meios Nacionais como tem também a responsabilidade de garantir a Soberania e Independência de todo o Portugal (incluindo Tavira)!

Alguém que explique ao senhor Macário...

Camoesas

De Fernando Vouga a 02.05.2007 às 12:21

Caro Camoesas

O que diz está absolutamente certo, mas politicamente errado. Porque o peso eleitoral de um general, mesmo sendo Chefe de EM é nulo.
Ao contrário, o de um autarca é muito importante. Porque o que conta não são as espingardas mas os votos.
Quanto mais não seja porque o General, apesar da importância que refere, está sujeito à lei da rolha. E o autarca pode dizer o que muito bem lhe apetecer e usar os meios de comunicação social sem quaisquer restrições. E, como se sabe, a comunicação social tem muita força.

De Hélia Camoesas a 12.06.2007 às 18:04

Caro Fernando Vouga

Nao pude deixar de resistir a comentar apenas repetindo o que escreve: " O que diz está absolutamente certo, mas politicamente errado"!!!

P.S: Então a politica, do seu ponto de vista, nada tem a ver com o que será absolutamente certo.
Porque não dizê-lo de outra forma?! "O que está politicamente correcto...está ABSOLUTAMENTE ERRADO." !!!

Não posso deixar de admirar e sua irónica "FRAnQUEZA" em relação à politica!

Gostaria de lhe propor que completasse algo que ainda não pude constatar com o meu mero quarto de século, e mera cidadã que não tem "a poderosa comunicação social ao seu dispôr para dizer o que bem entender" :

Os militares defendem o nosso Portugal, os politicos para além de falarem bonito (quando são eles a pensar ! ) ...???...

De Fernandes a 15.06.2007 às 21:53

É por políticos deste calibre que a taxa de abstenção é tão elevada... Parabéns pelo comentário Hélia .
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

É por políticos deste calibre que a taxa de abstenção é tão elevada... Parabéns pelo comentário Hélia . <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Ps</A> . Por favor reformem estes pseudopoliticos ... por favor...

De maquiavel a 05.07.2007 às 19:29

O comentário deste tal autarca Macário só vem confirmar o meu post deixado aqui anteriormente quando dei como exemplo de falta de respeito pela instituição militar de um tal Caldas enquanto MDN na presença do sr Gen CEMGFA.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Abril 2007

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930