Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Fio de Prumo



Terça-feira, 13.12.16

Pormenores

 

A Vida faz-se mais com pormenores do que com grandes actos de elevada visibilidade.

Um pormenor, que muitos classificarão de populismo, mas eu, no lugar do Professor Marcelo Rebelo de Sousa, faria o mesmo (talvez eu seja populista!). Mal desembarcou da sua viagem a Nova Iorque, o Presidente da República, seguiu do aeroporto para o Hospital da Cruz Vermelha a visitar e informar-se do estado de saúde do Dr. Mário Soares.

Meus Amigos, isto é educação, sentido do dever, respeito, admiração, sentido de Estado, humanismo, civismo e, acima de tudo, preocupação. Mas é uma extrema capacidade de desdobramento, que só uma imensa energia física e um alto sentido do dever conseguem tornar realidade.

Não votei nele. Não votei, mas votaria agora, se as eleições fossem amanhã.

Obrigado, Senhor Presidente. Está a igualar-se ao ícone da 1.ª República - de quem também diziam mal, com ou sem razão - Professor Doutor Bernardino Machado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 17:05

Terça-feira, 13.12.16

Os Novos Estados Unidos

 

Ainda não tomou posse o Presidente eleito, mas anunciam-se já tempos diferentes para os EUA. Sempre pensei que a "máquina" ia "triturar" Trump antes de ele poder fazer "asneiras", contudo, parece-me, estive enganado. Ele é já uma ameaça para o seu próprio país e, pior, para o mundo.

 

Não me mete medo a mudança; mete-me medo o tipo de mudança e, para além de tudo, temo a forma como vai ser sentida a mudança e, por conseguinte, as consequências da mudança.

 

O mundo, a democracia e as pessoas estão à espera, há muito tempo, de algo diferente, pois parece ter-se esgotado o modelo a que estávamos habituados. O modelo pós-guerra já se foi há muito; o modelo pós-queda do muro de Berlim esgotou-se e transformou-se, desembocando na "globalização", seja isso o que for. O Estado tem tendência a descartar-se dos encargos que havia assumido como seus; a "selva" individualista voltou a imperar na concorrência, mas, há uma nova "luz", que se levanta no horizonte: a tecnologia electrónica. Motiva e desmotiva gerações. Alguns vêem-na como a solução do futuro e outros como a causadora de todas as desgraças vindouras.

Trump pode ser a espoleta de um mundo prestes a "rebentar" na busca de um paradigma que os velhos modelos doutrinários não encontram.

 

Deus - se há e tem poder para interferir nas asneiras dos homens - tenha pena de nós, dos nossos filhos e dos nossos netos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Luís Alves de Fraga às 12:54


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2016

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031